Falar sobre trabalho intermitente e crise econômica na mesma frase, pode despertar algumas curiosidades ao microempreendedor. Mas mais que isso, esses dois termos juntos significam oportunidades que são valiosas para o empregador.

Ao abrir sua empresa, no momento de planejar o melhor e pior cenário, é comum cada um se basear na margem de risco da sua área de negócio. Mas e quando o pior cenário é global como uma pandemia mundial? Como prever e se preparar para crise com essa proporção?

Continue lendo esse artigo e veja como o trabalho intermitente e crise econômica podem dialogar para buscar a melhor saída para o seu negócio. Boa leitura!

trabalho intermitente e crise econômica

Trabalho intermitente no Brasil

Desde 2017 na Reforma Trabalhista o trabalho intermitente tem sido uma opção de contrato para os empregadores. Muito utilizado por empregadores do terceiro setor, essa opção de contato pode ser aplicada para todos os tipos de negócio.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, as profissões que mais contrataram intermitentes no último ano, foram:

  • assistente de vendas;
  • alimentador de linha de produção;
  • garçom;
  • cozinheiro;
  • faxineiro;
  • carregador;
  • vigilante.

O principal ponto em comum entre essas profissões é no que diz respeito à demanda. Os empregadores que tem seus negócios movidos pelo ritmo de demandas de marcado, ou sazonalidades, tendem a empregar mais trabalhadores intermitentes.

Quem opta por esse tipo de contrato deve saber que há regras e legislações específicas, muito diferentes dos outros tipos de contratação prevista em CLT, como:

  • convocações com no mínimo 72 horas de antecedência
  • pagamento imediato ao final de cada período de prestação de serviço, 
  • pagamentos devem conter férias, 13° e DSR proporcionais.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Trabalho intermitente e crise econômica

É aqui que devemos focar as atenções, em como as expressões “trabalho intermitente” e “crise econômica” dialogam. Conforme citamos há pouco, o trabalho intermitente é caracterizado por seus períodos de inatividade e a possibilidade do empregado trabalhar em vários outros lugares, todos com carteira assinada e direitos garantidos.

Assim sendo, o trabalho intermitente permite ao empregador convocar o funcionário apenas quando necessário, em outras palavras, empresas que utilizam esse tipo de contrato dificilmente tem problemas com o de mão de obra ociosa.

A peça que faltava pro seu negócio está aquiPowered by Rock Convert
conheça nossa soluçãoPowered by Rock Convert

Sobre crise econômica, aonde sempre temos que tentar prever o pior cenário, como numa pandemia viral aonde há ordens governamentais para que seu negócio feche, ou que liste seu negócio como parte das poucas empresas que devem funcionar, o trabalho intermitente se encaixa perfeitamente.

O pior cenário é aquele no qual você precisa, emergencialmente fechar as portas do seu estabelecimento, proibir atendimento ao público. Para quem trabalha com setor alimentício ou comércio, é um cenário horrível. A administração do fluxo de caixa para manter contas de consumo e folha de pagamento de funcionários, é o principal problema.

O trabalho intermitente e a crise econômica dialogam muito bem nesse cenário, pois não seria necessário empréstimos bancários ou outras dívidas altas por conta de folhas de pagamento. A não convocação do empregador já isentaria dessa preocupação.

Bem como num cenário mais favorável, a crescente demanda por entregas ou procura do seu serviço, pode lhe dar a opção de contratar no regime intermitente e atender prontamente à alta demanda.

Posso alterar o contrato de trabalho para intermitente?

Não, isso não é permitido. Caso você tenha já um quadro fixo de funcionários em contrato de prazo indeterminado, eles não podem ser alterados para intermitente.

Mas os novos contratos podem ser feitos dessa forma. Apenas lembrando que, o valor da hora de trabalho do intermitente não pode ser inferior ao valor horário do salário mínimo, ou àquele devido aos demais empregados do estabelecimento que exerçam a mesma função em contrato intermitente ou não.

E como gerir contratos diferentes dentro da mesma empresa?

Temos uma dica de ouro: você não precisará de uma equipe, ou pessoa específica para cuidar da gestão desses funcionários intermitente. Até mesmo porque estamos falando sobre crise econômica, e nesse momento a ideia principal é controlar custos.

Plataformas como TIO Digital te permite:

  • convocar o funcionário;
  • controlar a jornada de trabalho;
  • gerar recibos de pagamento do período trabalhado, automaticamente.

Tudo isso ai na tela do seu PC. Conheça o TIO Digital e facilite a gestão de intermitentes da sua empresa!


Samanta Cardoso Martins

Produtora de conteúdo no blog TIO Digital. Acadêmica em Design Think pela ESAMC. Designer Digital por formação pela Universidade Anhembi Morumbi com mestrado em Comunicação e Cultura pela UNISO. Especialista em CRO e Produção de Conteúdo pela Rock Content.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *