O registro do trabalho intermitente no eSocial é uma obrigação das empresas desde quando o sistema foi validado. Deve-se informar contratação, convocações, férias e todos os outros eventos relacionados.

Em janeiro de 2018, o eSocial entrou em vigor oficialmente e, para as empresas que ainda não fizeram a regularização, atenção, os prazos estão se esgotando. Mas para te ajudar a se adequar às mudanças, te explicamos tudo sobre o trabalho intermitente no eSocial.

Boa leitura!

Trabalho Intermitente no esocial

Como funciona o trabalho intermitente?

O trabalho intermitente é uma modalidade de contrato na qual o funcionário precisa ser convocado previamente pela empresa, para então prestar os serviços.

Essa modalidade está em vigor desde a Reforma Trabalhista de 2017, e tem se mostrado excelente opção para os empregadores que desejam otimizar tempo e reduzir os custos do seu negócio para situações específicas de demanda.

Dentre as principais características do trabalho intermitente, podemos destacar:

  • não continuidade da atividade;
  • trabalhador pode exercer atividade para mais de um empregador;
  • pagamento imediato ao final de cada período de prestação de serviço;
  • pagamentos devem conter férias, 13° e DSR proporcionais; e
  • o trabalhador não é obrigado a aceitar as convocações.

Vale ressaltar que essas características não deslegitimam a modalidade, o modelo de contrato intermitente prevê registro em carteira e todos os direitos trabalhistas descritos na CLT. Outro ponto importante sobre esse contrato é que além do registro na carteira, também deve-se registrar o trabalho intermitente no eSocial.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Por quê registrar o contrato de trabalho intermitente no eSocial?

Assim como já divulgado pelo Governo Federal, o calendário para que as empresas estejam regularizadas no sistema está se quase finalizado. O objetivo é que a utilização do eSocial facilite a fiscalização nos Estados, por meio de um sistema integrado.

Essa regra se aplica para todas as empresas e empregados, ou seja, todos os empregados que estão registrados na CLT devem ser registrados no eSocial. O sistema unifica os seguintes documentos:

  • Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED);
  • Folha de Pagamento;
  • Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP);
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS);
  • Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT);
  • Livro de Registro de Empregados (LRE);
  • Relação Anual de Informações Sociais (RAIS);
  • Comunicação de Dispensa (CD);
  • Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP);
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF);
  • Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF);
  • Quadro de Horário de Trabalho (QHT);
  • Manual Normativo de Arquivos Digitais (MANAD);
  • Guia da Previdência Social (GPS);
  • Guia de Recolhimento do FGTS (GRF).

Como registrar o trabalho intermitente no eSocial?

O empregador deve acessar no menu “Empregado” a opção “Admitir/Cadastrar”. Nessa primeira tela deve-se informar os dados: CPF, Data de Nascimento, Data de Admissão e Tipo de Registro.

Após isso, o empregador será redirecionado para a segunda tela, com as opções de preenchimento dos dados cadastrais e dados contratuais.

Como registrar a convocação pelo eSocial?

O empregador, sempre que fizer a convocação do funcionário, deve registrar o acontecimento no eSocial. No sistema, isso é chamado de evento.

Deve-se incluir um novo evento, o código para essa finalidade é S-2200 (Convocação para Trabalho Intermitente) e o objetivo é formalizar no sistema os termos pré-pactuados de cada convocação.

Lembrando que o eSocial apenas faz o registro da convocação, ou seja, ele não emite nenhum aviso ao empregado sobre a convocação feita. Portanto, muito provável que o empregador precise de ferramentas de gestão que auxiliem nesse processo.

Existem algumas empresas que trabalham com essa tecnologia, elas podem fazer a convocação e gestão desses empregados, tudo por uma plataforma online.

Gostou do artigo? Então assine a nossa newsletter e mantenha-se sempre informado sobre a modalidade intermitente!

Minuta de Contrato de Trabalho IntermitentePowered by Rock Convert

Samanta Cardoso Martins

Produtora de conteúdo no blog TIO Digital. Acadêmica em Design Think pela ESAMC. Designer Digital por formação pela Universidade Anhembi Morumbi com mestrado em Comunicação e Cultura pela UNISO. Especialista em CRO e Produção de Conteúdo pela Rock Content.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *