Para informar o salário do funcionário intermitente no eSocial, a empresa deve primeiro primeiro fazer um contrato de trabalho informando valor hora.

Muito conhecido entre os empregadores, o sistema do eSocial pode ter causado um pouco de dor de cabeça na sua fase inicial, mas hoje mostra que, de fato, o sistema facilita a vida dos gestores, principalmente do setor de Recursos Humanos.

Confira aqui como informar corretamente o salário do funcionário intermitente no eSocial e tire todas as dúvidas sobre convocação. Boa leitura!

Informar salário do intermitente no eSocial

Como cadastrar funcionário intermitente no eSocial?

Antes de detalharmos como informar o salário do funcionário intermitente no eSocial, é importante falarmos sobre o procedimento de cadastro dos funcionários que fazem parte desse contrato.

No momento de contratação, todos os documentos pessoais devem ser exigidos normalmente, bem como informados no sistema. O empregador deve acessar no menu “Empregado” a opção “Admitir/Cadastrar”.

Nessa primeira tela deve-se informar os dados: CPF, Data de Nascimento, Data de Admissão e Tipo de Registro. Em “Tipo de Registro” será especificado que é um funcionário intermitente. Na segunda tela é feito o preenchimento de outras informações cadastrais, como dependentes (solicitação de bolsa-família, se aplicável) e dados de contrato.

Teste-gratis-tio-digital

É importante lembrar que o sistema do eSocial é obrigatório, precisa estar sempre atualizado, mas não faz a gestão das convocações, recibos e cálculos. Para isso, indicamos uma plataforma específica como a do TIO Digital.

Como informar salário do funcionário intermitente no eSocial?

Acessando o sistema, na tela sobre dados contratuais o empregador irá informar:

  • tipo de contrato;
  • cargo;
  • salário base (valor hora).

Nessa sessão, deverá ser informado o salário do funcionário intermitente, sendo considerado o valor da hora trabalhada. Lembrando que o valor hora do intermitente não pode ser inferior ao salário mínimo nacional, ou inferior ao de outro funcionário que ocupe o mesmo cargo na empresa.

Todas as convocações devem ser informadas?

Sim, a cada convocação feita, é necessário que o empregador faça o registro dessa informação no eSocial. Deve-se incluir um novo evento, o código para essa finalidade é S-2200 (Convocação para Trabalho Intermitente) e o objetivo é formalizar no sistema os termos pré-pactuados de cada convocação.

Existe multa para empresa que não regularizar o intermitente?

Desde 2017, a modalidade de contrato intermitente foi oficializada na Reforma Trabalhista e passou a valer a aplicação de multa para empresas que não registrarem seu funcionário.

Se o objetivo da legislação é regularizar o que era “bico”, as empresas não podem mais se comportar de tal forma. É necessário registro em carteira, cadastro no eSocial e conformidade em todas as regras de convocação e intervalos entre elas.

Precisa de ajuda na gestão?

A plataforma do TIO Digital te auxilia na gestão do funcionário intermitente. Com a plataforma é possível:

  • convocar trabalhadores;
  • gerir os contratos;
  • calcular salários;
  • emitir recibos;
  • manter todos os documentos em um único lugar.

Contate agora mesmo um de nossos especialistas e saiba como o TIO Digital pode auxiliar na gestão intermitente.


Samanta Cardoso Martins

Produtora de conteúdo no blog TIO Digital. Acadêmica em Design Think pela ESAMC. Designer Digital por formação pela Universidade Anhembi Morumbi com mestrado em Comunicação e Cultura pela UNISO. Especialista em CRO e Produção de Conteúdo pela Rock Content.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *