Contatar trabalhadores intermitentes já é uma realidade no mercado de trabalho, entretanto ainda pairam algumas dúvidas sobre o funcionamento deste contrato. O questionamentos são diversos, mas grande parte deles são sobre a jornada de trabalho e como são aplicadas as regras de horas extras no trabalho intermitente.

Afinal, a contagem de horas extras intermitentes têm algum diferencial?

Se essa é a sua dúvida, com certeza você está no lugar certo. Neste artigo você vai saber como funcionam as horas extras no trabalho intermitente e aprender a controlar estas horas extraordinárias. Boa leitura!

Horas extras no trabalho intermitente

Jornada de trabalho intermitente

No texto da Reforma, não há nenhuma previsão para a jornada de trabalho intermitente. Entretanto usa-se  a mesma regra dos trabalhadores regulares, onde a jornada diária de trabalho não pode ultrapassar 8 horas e as horas mensais não podem ser superiores a 440.

Desse modo, as empresas que contratam em regime intermitente, não podem ultrapassar este limite.

Quer saber tudo sobre a jornada de trabalho intermitente? Então leia o artigo completo sobre o tema feito pelo TIO, aqui!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Horas extras no trabalho intermitente

Ao convocar um trabalhador intermitente para prestar serviço, alguns detalhes devem ser previamente acordados. Detalhes que vão desde o local de trabalho até a quantidade de horas que o empregado irá desempenhar sua função.

Dessa maneria, o trabalho prestado além da jornada previamente acordada na convocação, é  caracterizado como horas extras e deve ser pago ao trabalhador. Com isso, o cálculo de horas extras será o mesmo de um empregado que trabalhe na mesma empresa.

Caso sejam feitas, as horas extras no trabalho intermitente devem ser pagas juntamente com os demais valores da remuneração. Lembrando que o pagamento ao trabalhador intermitente deve ser feito logo após o serviço prestado. Como também deve ser entregue ao trabalhador um recibo de pagamento informando todos os valores atribuídos a sua remuneração, como é o caso das horas extras por exemplo.

Lembrando que de acordo com a Reforma, um trabalhador não pode prestar mais que 2 (duas) horas extras por dia. E caso sejam feitas horas extraordinárias elas devem ser devidamente registradas.

Controle de ponto

Para não perder o controle da carga horária do trabalhador e também fazer o pagamento correto das horas extras no trabalho intermitente, é importantíssimo que os empregadores façam o registro de ponto.

O controle de ponto serve para a empresa acompanhar toda a jornada de trabalho feita pelo funcionário durante o dia. Entrada, saída, horário de almoço, horas extras tudo é registrado e serve para o empregador conferir se está tudo certo.

Atualmente o trabalho intermitente já conta com ferramentas de ótima qualidade para ajudar na tarefa de controlar o ponto dos funcionários.

A tecnologia presente no processo de controle de ponto no trabalho intermitente envolve até reconhecimento facial do trabalhador. Tudo para tornar o processo cada mais vez mais seguro e preciso.

Afim de trazer mais facilidade na gestão dos trabalhadores intermitentes? Então conheça o TIO Digital a ferramenta mais completa para o empregador que conta com um app para o trabalhador.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *