Trabalho intermitente cresce no setor de serviços: veja detalhes!

O trabalho intermitente cresce no setor de serviços, sendo o que mais fez contratações da modalidade. A grande atratividade do modelo para trabalhadores e contratantes, com suas vantagens e benefícios, tornam o trabalho intermitente uma verdadeira tendência.

Desde a sua criação em 2017, o Trabalho Intermitente tem sido visto como uma modalidade promissora para o mercado de trabalho. Crescendo cada vez mais a cada ano e ganhando a confiança dos trabalhadores e contratantes, ele se consolidou como uma verdadeira tendência.

Ele pode ser inserido nas mais diversas áreas e tipos de empresa, independente de seu porte e tamanho. Além disso, por se ajustar aos períodos de sazonalidade dos negócios, a modalidade tem se consagrado como uma possibilidade cada vez mais viável.

Um dos setores que mais contratou trabalhadores intermitentes foi o de serviços, conforme divulgação pelo UOL. Quer saber tudo e muito mais sobre a modalidade e como ela cresce no mercado? Então, fique com o TIO até o final e boa leitura.

trabalho intermitente cresce no setor de servicos
Aumento do número de contratações intermitentes no sertor de serviços: todos os detalhes e dados – Foto: Freepik.

Trabalho intermitente

O trabalho intermitente tem como característica principal a alternância entre períodos de inatividade e atividade. Isso significa que a prestação de serviços não é contínua, mas acontece mediante convocação prévia pelo contratante e aceitação pelo trabalhador.

Por isso, ele se ajusta a diversos setores e áreas de alta sazonalidade, que enfrentam um aumento de demanda e trabalho pontual durante o ano. Nestas épocas e datas, é comum que a necessidade por uma maior mão de obra aumente – o que pode ser suprida pela contratação de trabalhadores intermitentes.

Assim, o pagamento dos profissionais é feito com base no tempo de período de trabalho, o que faz com que o valor da hora de trabalho seja um dos mais importantes para o cálculo. Contudo, o valor/hora não pode ser inferior ao mínimo nacional, que em 2023 é de R$5,92, ou menor que dos demais trabalhadores da empresa com mesmo cargo ou função.

Já durante os períodos de inatividade do trabalhador, o contratante não deve pagar nenhum encargo ou valor. Afinal, sem prestação de serviços e atividades, não há necessidade de pagamento. Por isso, a modalidade é vista como uma grande possibilidade de redução de custos.

Trabalho intermitente cresce no setor de serviços

O trabalho intermitente cresce a cada ano que passa, se consolidando como uma verdadeora tendência do mercado. De acordo com dados do CAGED, apenas em dezembro de 2022 houveram 7.490 novos postos da modalidade intermitente, de um total de 24.333 admissões.

No total, ao longo do ano anterior, criaram-se 84.229 novos postos na modalidade intermitente, dentro de 301.464 contratações deste modelo. A expectativa é que os números aumentem ainda mais durante 2023.

Mesmo que a modalidade se enquadre e se adeque a todas as áreas e tipos de empresa, o trabalho intermitente cresce no setor de serviços em superioridade aos demais ramos.

Segundo o UOL, o setor de serviços representou 41% do total de contratações intermitentes desde a Reforma Trabalhista, seguido do ramo comercial com 31% – cerca de 10% de diferença.

As principais funções buscadas são:

  • Assistente de vendas;
  • Repositor de mercadorias;
  • Cozinheiros;
  • Vendedores e atendentes;
  • Serventes de obras;
  • Faxineiros;
  • Alimentadores de linha de produção;
  • Agentes de segurança;
  • Ajudantes de motorista.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o trabalho intermitente teve papel fundamental no fechamento do saldo positivo de empregos em 2018 – e desde então cresce ainda mais.

Confira outros exemplos: Confira 6 Exemplos de Trabalho Intermitente!

Adesão ao trabalho intermitente

Por mais atrativa que a modalidade seja, muitos empresários ainda têm receio em apostar neste tipo de contratação. Segundo dados do CNIS, de 523 empresas entrevistadas entre 2020 e 2021, apenas 60% realizaram alguma contratação em modelo intermitente até então.

Maira Campos, diretora da consultoria de recursos humanos Page Interim, levanta uma hipótese:

Os brasileiros não estão habituados a trabalhar por hora, e há uma dificuldade de controlar as horas trabalhadas. A maior parte das empresas não consegue fazer isso numa folha de pagamentos comum.

Contudo, este cenário não irá demorar muito para mudar. Aline Marques, advogada trabalhista, debate que o aumento contínuo de contratações no modelo intermitente mostra que o mercado está se adaptando cada vez mais a este tipo de contratação.

Então, que tal contar com uma plataforma que te ajuda com este e todos os outros processos do trabalho intermitente?

Confira outras novidades: Mudanças no Trabalho Intermitente: o que pode mudar?

Como aderir ao trabalho intermitente da melhor maneira?

Contratar trabalhadores em regime intermitente pode ser um grande diferencial para o seu negócio. Em casos de aumento de demanda, ter empregados à sua disposição pode ser a chave para otimizar ainda mais seus resultados.

Para te ajudar em todos os momentos, processos e etapas do contrato intermitente, existe uma solução completa e inteligente: o TIO Digital. Nós te ajudamos a fazer a melhor gestão do trabalho intermitente, por meio de funcionalidades únicas e exclusivas como:

  • Controle de ponto por aplicativo, com geolocalização e reconhecimento facial;
  • Chat direto e exclusivo com os funcionários para acordos pré-convocatórios;
  • Histórico completo de convocações aceitas e recusadas;
  • Calculadora de salário automática;
  • Muito mais.

Descubra o TIO Digital e insira gestão inteligente no seu trabalho intermitente. Deixe sua rotina mais prática, rápida e fácil – teste agora por 10 dias gratuitos.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *