...

Quanto Tempo posso ficar sem Convocar Intermitente?

Afinal, quanto tempo posso ficar sem convocar intermitente? Não existe um período mínimo ou máximo para a convocação do profissional, e o empregador pode ficar o tempo necessário sem realizar o chamado. Quando houver a convocação, ela deve ser feita em até 3 dias (72 horas) antes do início previsto para as atividades.

O trabalho intermitente pauta-se pela descontinuidade da prestação de serviços, que apenas ocorre mediante convocação prévia pelo contratante. Com os períodos de inatividade alternados com os de atividade, a modalidade foi pensada para servir como alternativa às empresas que lidam com alta sazonalidade de negócios e aumento esporádico de demanda.

Por isso, ao admitir o profissional, muitos contratantes se perguntam: “quanto tempo posso ficar sem convocar intermitente?”. Uma vez que o chamado para a prestação de serviços depende diretamente da necessidade do empregador e do interesse pessoal do profissional, é comum haver um período considerável entre uma convocação e outra.

Então, para te ajudar a entender tudo sobre o assunto, o TIO Digital preparou este conteúdo completo para você. Continue conosco até o final e boa leitura.

quanto tempo posso ficar sem convocar intermitente
Afinal, quanto tempo posso ficar sem convocar intermitentes? A Lei não estipula um prazo mínimo ou máximo para haver convocação do profissional, de forma que o contrato não se rescinde independente do tempo sem atividade — Foto: Freepik.

Inatividade e convocação do trabalhador intermitente

Os períodos de inatividade são parte principal do trabalho intermitente, caracterizando a prestação de serviços como não contínua. Em outras palavras, é o tempo no qual o empregado não exerce nenhuma atividade ao empregador.

Tratando-se de uma característica fundamental do trabalho intermitente, a inatividade é obrigatória e deve ser concedida ao fim da convocação, antes do início de outra. Além disso, o empregador não realiza nenhum pagamento durante a inatividade, uma vez que não há prestação de serviços.

Estes intervalos podem ser de dias, semanas ou meses, a depender da demanda do empregador. Então, quando ele precisar dos serviços do empregado, basta realizar a convocação pelo período necessário.

O contratante deve realizar a convocação em até 3 dias (72 horas) antes do início previsto, e o profissional tem até 1 dia (24 horas) para aceitar ou negar o chamado. Vale ressaltar que a rejeição é um direito do intermitente, sem se caracterizar como insubordinação ou rescisão contatual.

Saiba mais:

Quanto tempo posso ficar sem convocar intermitente?

A convocação do empregado intermitente depende da demanda do contratante, bem como dos interesses pessoais e disponibilidade do profissional. Sendo assim, é comum que os contratantes tenham a seguinte dúvida: quanto tempo posso ficar sem convocar intermitente?

Segundo as leis que regem o trabalho intermitente — a Lei 13.467 e a Portaria 671 —, não há tempo mínimo e/ou máximo para convocação do profissional. Ou seja, o contratante pode ficar o tempo que for sem convocar o colaborador, sem haver rescisão contratual e sem rompimento do vínculo trabalhista.

Da mesma maneira, o trabalhador intermitente pode ficar sem aceitar convocações pelo tempo que desejar, sem as citadas implicações.

Então, se a demanda está alta, o empregador pode convocar o intermitente logo ao final de sua convocação. Caso contrário, se a demanda estiver baixa, o intermitente pode ficar inativo pelo período necessário até que ela aumente.

Exemplo de período de inatividade de acordo com a demanda

Suponhamos que Jorge é o dono de uma empresa de chocolates que recebe um aumento de demanda no período da Páscoa, de modo que seja preciso aumentar a produção de doces.

Trata-se de um aumento da demanda pontual e anual: o período da Páscoa. Por isso, uma das alternativas que Jorge possui para suprir sua necessidade de produção é contratar e convocar empregados intermitentes.

Assim, há a prestação de serviços apenas durante o período no qual a produção deve ser maior, de forma que a convocação destes empregados segue a demanda da empresa de Jorge.

Então, ao final deste período e após a comemoração da Páscoa, a demanda da empresa de Jorge irá diminuir. Dessa forma, com menos necessidade, a convocação dos empregados intermitentes se encerra e eles entram em seu período de inatividade.

Como o feriado da Páscoa é anual, Jorge pode realizar a convocação dos empregados apenas no ano seguinte, a fim de se preparar para o aumento de sua demanda na data.

Ainda, se precisar de funcionários em outros períodos, como próximo ao Dia dos Namorados por exemplo, basta convocar seus intermitentes.

O contrato intermitente é rescindido depois de um ano sem convocação?

Não, a rescisão do contrato intermitente não é feita de forma automática em nenhuma situação.

A Medida Provisória 808/2017 previa a rescisão automática após 1 ano sem convocação, mas a medida perdeu validade e, por isso, nenhum de seus pontos se aplica ao trabalho intermitente. Por isso, a rescisão do contrato de trabalho não ocorre automaticamente, nem após um ano sem convocação.

Então, o empregador pode ficar sem convocar intermitente por quanto tempo precisar. O contrato de trabalho continua valendo até que uma das partes decida pela rescisão do mesmo.

TIO para gestão da convocação de empregados intermitentes

Ser empregador intermitente não é uma tarefa fácil, já que são diversas regras e detalhes a serem lembrados a cada convocação. Por isso, realizar a melhor gestão da convocação dos empregados intermitentes é parte crucial para a organização do trabalho intermitente.

Para isso, conte com o TIO Digital — a melhor plataforma para gestão de profissionais intermitentes, criado de acordo com as regras e leis que regem este tipo de contratação. Nós te ajudamos em todos os momentos da relação trabalhista, desde a admissão do colaborador até a eventual rescisão, com segurança e praticidade em todas as etapas.

Tudo isso por meio de funcionalidades e ferramentas úteis à sua rotina de gestor, como:

  • Cálculos e recibos de pagamento do trabalhador;
  • Convocação de funcionários simples e eficiente;
  • Registro de ponto;
  • Planos configurados para sua empresa e muito mais.

Descubra o que mais o TIO pode fazer por você e otimize todos os resultados com o trabalho intermitente. Agende uma demonstração gratuita com nossos especialistas e não perca mais tempo.

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 6

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Vamos melhorar este post.

Como podemos melhorar esse post?

Conteúdos relacionados

Seraphinite AcceleratorOptimized by Seraphinite Accelerator
Turns on site high speed to be attractive for people and search engines.