Trabalho intermitente CLT ainda é uma grande novidade no mercado de trabalho desde sua aprovação na Reforma Trabalhista. Antes dela, não existia respaldo legal que garantisse os direitos de empregadores e trabalhadores intermitentes. 

Para saber o que é trabalho intermitente, como funciona o contrato intermitente e conhecer alguns exemplos de trabalho desse regime de contratação, no blog do TIO Digital você descobre!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é trabalho intermitente?

O conceito de trabalho intermitente está previsto na CLT, art. 443:

Considera-se como intermitente o contrato de trabalho no qual a prestação de serviços, com subordinação, não é contínua, ocorrendo com alternância de períodos de prestação de serviços e de inatividade, determinados em horas, dias ou meses, independentemente do tipo de atividade do empregado e do empregador, exceto para os aeronautas, regidos por legislação própria.

Entendemos então, que trata-se de um regime no qual o funcionário prestará o serviço de forma descontinuada, com alternância entre períodos ativos e inativos.

Assim, o trabalho exercido pelo funcionário deve corresponder a um espaço de horas, dias ou meses. E, de acordo com a Lei nº 13.467, essa, dentre outras informações, devem constar em contrato de trabalho intermitente.

Confira exemplos de trabalho intermitente aqui.

Contrato de trabalho intermitente

Com a Reforma Trabalhista de 2017, foi determinado que no contrato de trabalho intermitente devem constar informações tais quais:

Art. 452-A.  O contrato de trabalho intermitente deve ser celebrado por escrito e deve conter especificamente o valor da hora de trabalho, que não pode ser inferior ao valor horário do salário mínimo ou àquele devido aos demais empregados do estabelecimento que exerçam a mesma função em contrato intermitente ou não. 

§ 1o  O empregador convocará, por qualquer meio de comunicação eficaz, para a prestação de serviços, informando qual será a jornada, com, pelo menos, três dias corridos de antecedência. 

§ 2o  Recebida a convocação, o empregado terá o prazo de um dia útil para responder ao chamado, presumindo-se, no silêncio, a recusa. 

§ 3o  A recusa da oferta não descaracteriza a subordinação para fins do contrato de trabalho intermitente.  

§ 4o  Aceita a oferta para o comparecimento ao trabalho, a parte que descumprir, sem justo motivo, pagará à outra parte, no prazo de trinta dias, multa de 50% (cinquenta por cento) da remuneração que seria devida, permitida a compensação em igual prazo.  

§ 5o  O período de inatividade não será considerado tempo à disposição do empregador, podendo o trabalhador prestar serviços a outros contratantes.  

§ 6o  Ao final de cada período de prestação de serviço, o empregado receberá o pagamento imediato das seguintes parcelas: 

I – remuneração

II – férias proporcionais com acréscimo de um terço;  

III – décimo terceiro salário proporcional; 

IV – repouso semanal remunerado; e 

V – adicionais legais. 

§ 7o  O recibo de pagamento deverá conter a discriminação dos valores pagos relativos a cada uma das parcelas referidas no § 6o deste artigo. 

§ 8o  O empregador efetuará o recolhimento da contribuição previdenciária e o depósito do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, na forma da lei, com base nos valores pagos no período mensal e fornecerá ao empregado comprovante do cumprimento dessas obrigações. 

§ 9o  A cada doze meses, o empregado adquire direito a usufruir, nos doze meses subsequentes, um mês de férias, período no qual não poderá ser convocado para prestar serviços pelo mesmo empregador.

vantagens do trabalho intermitente

Trabalho intermitente Reforma Trabalhista

O regime de trabalho intermitente surgiu para flexibilizar as opções até então existentes para a contratação de mão de obra. O objetivo era corrigir uma defasagem nos tipos de trabalho disponíveis até então.

Dessa forma, tanto o trabalhador intermitente, quanto o empregador podem ter suas necessidades atendidas. Se por um lado, por exemplo, o funcionário precisa de uma carga horária flexível de trabalho e o contratante, por sua vez, tem uma alta volubilidade na sua demanda de negócio, a modalidade intermitente pode ser a peça que faltava.

Saiba mais sobre Trabalho Intermitente para Pequenas e Médias Empresas.

Dúvidas sobre trabalho intermitente

Se você ainda tem dúvidas sobre o trabalho intermitente, podemos fazer algumas recomendações sobre leituras úteis. No caso de preferir, entre em contato com a equipe do TIO Digital e faça suas perguntas.

No mais, confira essa lista:

E não deixe de compartilhar esse artigo com quem precisa! Você também pode deixar seu comentário abaixo e nos dizer o que achou desse conteúdo!


Diana Hada

Produtora de conteúdo no blog TIO Digital. Acadêmica em Comunicação e Design Digital pela ESPM. Publicitária por formação pelo Centro Universitário Senac. Especialista em CRO, SEO, Produção de Conteúdo, Blogs Corporativos, Custumer Sucess, E-mail Marketing e Marketing de Conteúdo Avançado pela Rock Content.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *