Reajuste de Salário no Contrato Intermitente: Passo a passo!

O reajuste de salário no contrato intermitente é feito através da plataforma do eSocial, e o empregador deve saber todas as suas regras para evitar dores de cabeça no futuro.

O reajuste de salário no contrato intermitente é feito através da plataforma do eSocial, e o empregador deve saber todas as suas regras para evitar dores de cabeça no futuro.

Assim como todo trabalhador, o intermitente não pode ter sua remuneração inferior ao proporcional do salário mínimo. Sendo assim, é sempre bom atentar-se quanto ao novo valor hora para calcular um aumento.

O reajuste de salário no contrato intermitente é um tema recorrente nessa modalidade, por isso o TIO Digital preparou um artigo especialmente para desvendar esse assunto.

Reajuste De Salário No Contrato Intermitente

Como calcular o salário do trabalhador intermitente?

O cálculo de salário do trabalhador intermitente é feito através do seu valor hora. Para isso é necessário dividir o salário por 220, o número máximo de horas que podem ser trabalhadas ao mês de acordo com a Constituição.

Além disso, existem algumas regras que a Reforma Trabalhista estipulou para o salário do trabalhador intermitente:

“Art. 452-A. O contrato de trabalho intermitente deve ser celebrado por escrito e deve conter especificamente o valor da hora de trabalho, que não pode ser inferior ao valor horário do salário mínimo ou àquele devido aos demais empregados do estabelecimento que exerçam a mesma função em contrato intermitente ou não.

Em outras palavras, o trabalhador intermitente não pode receber menos do que um salário mínimo, R$ 5,00 a hora em 2021, e nem menos do que um funcionário da mesma empresa que exerce a mesma função.

Agora, ao realizar o seu pagamento, a empresa deve acrescentar os encargos obrigatórios.

Como realizar o pagamento do trabalhador intermitente?

Para realizar o pagamento do trabalhador intermitente após a sua prestação de serviços, a empresa deve pagar o seguinte:

  • remuneração;
  • férias proporcionais com acréscimo de um terço;
  • décimo terceiro salário proporcional;
  • repouso semanal remunerado;
  • adicionais legais.

Em seguida, com o pagamento feito, basta emitir seu recibo e entregar uma cópia ao funcionário.

O que é o reajuste de salário?

O reajuste de salário é o ato de alterar a remuneração do funcionário. Para o contrato tradicional, é uma medida obrigatória que deve ocorrer todos os anos. Do mesmo modo, para o contrato intermitente as regras são as mesmas.

Quando fazer o reajuste de salário no contrato intermitente?

O reajuste de salário no contrato intermitente deve acontecer em duas situações:

  • alteração do salário mínimo pelo governo;
  • reajuste espontâneo dado pela empresa ou reajustado pela Convenção Coletiva.

Assim como no contrato tradicional, o valor hora do trabalhador intermitente não pode ser inferior ao salário mínimo nacional e regional. Portanto, para o funcionário que recebe um salário mínimo, sua remuneração deve ser alterada anualmente com os novos valores divulgados pelo Ministério da Economia.

Além disso, caso a empresa aumente os salários dos demais funcionários, ela também fica obrigada a aumentar o do trabalhador intermitente também.

Quais as consequências em não fazer o reajuste salarial?

As consequências em não fazer o reajuste salarial são: multa, pagamento das verbas com o reajuste e processos trabalhistas.

Essas alterações são obrigatórias porque estão previstas em lei, e portanto, o seu descumprimento gera enormes prejuízos financeiros.

Como fazer reajuste de salário no eSocial?

Assim, confira um passo a passo de como fazer reajuste de salário no eSocial:

  • entre no eSocial;
  • vá em “Empregado” e depois em “Gestão de Empregados”;
  • siga em “Dados Contratuais”;
  • clique em “Reajustar Salários”;
  • então, inclua o novo salário e a data de alteração;
  • por fim, confirme o procedimento.

Há uma observação: no cálculo automático da folha de pagamento, o eSocial considera o novo valor do salário contratual para o mês completo, independente do dia de início da alteração. Então, caso o empregador queira que o novo salário tenha reflexo na folha a partir do início da alteração, ele deve realizar cálculos manuais e editar a rubrica “salário”.

É necessário reformular o contrato de trabalho ao alterar o salário?

Não, não é necessário reformular o contrato de trabalho ao alterar o salário. Isso porque a alteração vai direto para a carteira de trabalho (CTPS), não sendo preciso reformulá-lo.

Quer simplificar a gestão do trabalho intermitente?

Já pensou em usar a tecnologia para simplificar a gestão do trabalho intermitente? Para isso, conheça o TIO Digital: uma plataforma web e mobile com todos os recursos que seu negócio precisa quando o assunto é trabalho intermitente.

Tenha a sua gestão elevada à potência máxima: você convoca o funcionário, controla a jornada de trabalho, gera recibos de pagamento diários automaticamente, tudo de acordo com a lei, simples e descomplicado.

Teste por 10 dias grátis e então comprove você mesmo!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.