Antes de saber quando custa um empregado intermitente, é importante saber que ele tem os mesmos direitos de um empregado registrado com o contrato por prazo indeterminado.

Sendo opção para redução de custos com folha de pagamento, o trabalho intermitente apresenta bons benefícios nos gastos com funcionários.

Quer saber quanto custa um empregado intermitente para sua empresa? Então continue lendo e tire todas as dúvidas sobre o assunto. Boa leitura!

quanto custa um empregado intermitente

Quais os direitos do trabalhador intermitente?

De acordo com o texto da Reforma Trabalhista de 2017, o empregado intermitente tem todos os direitos que a CLT garante por lei. São eles:

  • salário;
  • décimo terceiro;
  • horas extras (quando houver);
  • adicional noturno (quando houver);
  • férias;
  • aviso prévio;
  • FGTS;
  • seguro-desemprego.

Então se você pensou “o empregado intermitente custa o mesmo que outro empregado”, saiba que não é bem assim. No geral, as os direitos são iguais, o que muda é a frequência com a qual os gastos aparecem.

Então quanto custa um empregado intermitente?

O salário do empregado intermitente não pode ser abaixo do salário de outros empregados que executam a mesma função. No caso de não haver outros empregados, o salário não pode ser inferior a um salário mínimo.

Sendo a remuneração do intermitente baseada em horas de trabalho, o valor mínimo da hora para o ano de 2020 é de R$ 4,75. Férias, adicionais e descontos serão calculados com base nesse nesse valor/hora.

O diferencial do trabalhador intermitente em relação aos custos de um empregado que presta serviço contínuo é que você terá gastos apenas quando, de fato, precisar da mão de obra.

Empregado intermitente é mais barato para a empresa?

Com toda certeza, a empresa irá economizar ao optar por uma mão de obra intermitente. Ainda mais se houver planejamento sobre as atividade, permitindo convocar mão de obra apenas quando realmente necessário.

A empresa não precisa se preocupar em dispensar funcionários em época de baixa demanda, ou então pagar salário para funcionário que está sem função no momento.

No caso do contrato intermitente é possível apenas não convocar para executar a função, assim, evita-se gastos desnecessários.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Quanto tempo a empresa pode ficar sem convocar?

A legislação não determina qual o período de inatividade que deve ocorrer entre as convocações. Em um caso em que o funcionário seja chamado para prestar um serviço de uma semana por exemplo, acabando esse período é preciso ter um intervalo (período de inatividade) para a próxima convocação para não configurar prestação contínua de trabalho.

Porém, o funcionário pode ficar até um ano sem ser convocado e ainda assim, manter vínculo com a empresa. O que gera uma vantagem enorme para o empregador frente a outros contratos.

Quer ajuda para convocação?

Eleve sua capacidade de gestão quando o assunto é trabalho intermitente. O TIO Digital é a primeira plataforma do Brasil especializada em gestão do contrato intermitente, tudo de acordo com a lei. Assuntos como:

  • cadastro de funcionários contratados;
  • convocação;
  • registro de ponto;
  • chat entre empresa e funcionários;
  • cálculo de pagamento por atividade e mais;

Facilite sua vida e o dia a dia da sua empresa. Contrate agora o TIO Digital.

Minuta de Contrato de Trabalho IntermitentePowered by Rock Convert

Samanta Cardoso Martins

Produtora de conteúdo no blog TIO Digital. Acadêmica em Design Think pela ESAMC. Designer Digital por formação pela Universidade Anhembi Morumbi com mestrado em Comunicação e Cultura pela UNISO. Especialista em CRO e Produção de Conteúdo pela Rock Content.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *